Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 21 de abril de 2012

Como funciona a Logística da Loja Casas Bahia


Como funciona a Logística da Loja Casas Bahia

Segue abaixo algumas reportagens sobre como funciona a Logística do maior varejista Brasileiro, a Casas Bahia.

Casas Bahia. Os maiores compradores de caminhões do Brasil.
No ano de 2008, foi visto que o maior varejista brasileiro concluiu a compra de 1.050 caminhões da Mercedes Benz. A escolha da Mercedes Benz foi definida por causa das características técnicas de seus caminhões, como economia de combustível, qualidade dos caminhões e o pós-venda oferecido pela MB e sua rede de concessionários. A parceria foi conquistada ao longo de 25 anos.
O modelo Accelo 915 C foi desenvolvido em conjunto com a rede. “Ele foi desenvolvido em parceria com as Casas Bahia e também foi apresentado a outros clientes”, comentou Gilson Mansur, diretor de vendas de veículos comerciais para o mercado interno da MB.
Para a Mercedes Benz, além de ser seu maior cliente individual, a varejista possui a maior frota de veículos de transporte MB da América Latina.
“Dedicação total a você”. Com este slogan a varejista entende que o atendimento ao cliente envolve todas as fases de seu negócio, que vai da pré-venda ao pós-venda, incluindo, claro, a entrega, momento mágico que o cliente ansioso recebe em sua casa o móvel ou a geladeira, segundo seu principal executivo Michael Klein.
Para Klein,
“Nosso negócio não é só dar crédito. Cada venda é uma conquista, um cliente a mais. É claro que tem o aspecto do lucro, mas isso é decorrência do negócio.

A logística da Super Casas Bahia
Como a logística está presente em todos os lugares, envolvendo, entre outras coisas, o transporte e a organização dos produtos, é interessante conhecer o processo logístico da Super Casas Bahia, que a rede varejista organiza todo final de ano no Parque de Exposições do Anhembi, em São Paulo, SP, para venda de eletrodomésticos, eletroeletrônicos e móveis.
Segundo o departamento de comunicação das Casas Bahia, a infra-estrutura foi montada pela própria empresa junto com os departamentos de telecomunicações, projetos, engenharia, etc., a partir de uma planta baixa do evento feita por um arquiteto. Dentro disso, delimitou-se pisos, contrapisos, áreas para estoque e vendas, cabeamento de fios, instalação de telefonia, internet e outros.
Conforme informado, os produtos foram sendo entregues aos poucos pela logística da própria rede a partir de uma grade de programação. Quanto à comercialização, os produtos partem do CD de Jundiaí e são transportados pela empresa. “A super loja funciona como uma loja normal das Casas Bahia, numa escala muito maior. O controle de entrada/saída de produtos e o abastecimento são de responsabilidade da Casas Bahia, como nas demais lojas da rede. A entrega de produtos que não são retirados na própria Super é feita em até 48 horas na casa do cliente com a frota da empresa”, explicou o departamento de comunicação. Sobre a possibilidade de haver problemas logísticos, foi informado que como já é a 4ª edição do evento, o processo de montagem de estoque, a entrega e o reabastecimento de produtos na Super Casas Bahia já estão bem definidos, não enfrentando maiores problemas. Com esta mega-loja, o volume de entregas da empresa aumenta cerca de 30% em relação aos outros meses. 

Multimodal - Logística: Casas Bahia entregam mais de 1,2 milhão de mercadorias por mês
Frota composta por 3.062 veículos pesados; mais de 9 mil funcionários atuando diretamente nos Centros de Distribuição; 1,2 milhão de entregas por mês; 8,3 milhões de metros cúbicos de área de armazenagem total. Estes são os números da rede varejista de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos das Casas Bahia.
Atualmente, a empresa possui oito Centros de Distribuição, responsáveis pelo abastecimento direto das lojas localizado em: Jundiaí, SP – 2º maior CD no mundo, com 300.000 m2 de área construída; no município de Duque de Caxias, RJ, com 180.000 m2; Ribeirão Preto, SP, com 40.000 m²; Betim, MG, com 21.000 m²; São Bernardo do Campo, SP, com 96.000 m²; São José dos Pinhais, PR, com 70.000 m²; Campo Grande, MS, com 12.000 m²; e Camaçari, BA, com 69.000 m2. Como suporte, há outros seis entrepostos nas cidades de Goiânia, Brasília, Maringá, Itajaí, Serra e Cuiabá, que recebem as mercadorias dos Centros de Distribuição e as redistribuem em veículos médios para entrega aos clientes. Hoje, a capacidade total de armazenagem da Casas Bahia nos seus depósitos é de 8,3 milhões de metros cúbicos.
O sistema de armazenagem utilizado pela companhia foi desenvolvido para guardar produtos de variadas formas, pesos e tamanhos, como itens de linha branca, móveis e eletros-portáteis. A empresa possui uma logística de abastecimento de lojas (produtos de retirada imediata pelo cliente, como eletrodomésticos) e entrega direta nas residências dos clientes (produtos maiores, como os de linha branca), tanto de compras feitas em lojas físicas quando na loja virtual.
As entregas são realizadas em um raio de 1.500 km a partir do depósito central (Jundiaí), para que seja cumprido o prazo de entrega definido com o cliente. Nas filiais, o reabastecimento é feito automaticamente, por meio de um sistema que atua de acordo com a localização do ponto de venda e o seu giro. O próprio sistema propõe o abastecimento, e analistas da rede avaliam os pedidos.

Operações próprias
Segundo a empresa, a logística não é terceirizada para manter o padrão de qualidade e o controle absoluto de todo o processo. “A venda não termina quando o cliente deixa a loja, portanto, é fundamental que tenhamos o controle absoluto de todo o procedimento de entrega para que ele seja perfeito”, declara Michael Klein, diretor-executivo das Casas Bahia. De acordo com ele, as equipes de entrega – 1 motorista e 2 ajudantes – são constantemente treinadas sobre responsabilidade de tratamento, apresentação visual e ética no comando dos veículos.
Em 2009, a frota de veículos pesados rodou cerca de 120,6 milhões de quilômetros e consumiu 26,6 milhões litros de combustível. O departamento de Tecnologia da Informação da Casas Bahia desenvolveu o sistema utilizado para controle e monitoramento da logística da empresa.
A frota atual é composta por mais de 2.800 caminhões, 95 cavalos mecânicos, 122 semirreboques (carretas), além de veículos especiais, ônibus e micro-ônibus. A idade média é de três anos, o que faz com que a maioria dos serviços de manutenção seja realizada em garantia. Para a manutenção preventiva, a rede mantém uma oficina no CD com tecnologia e pessoal treinado.
“A logística é uma etapa importante na fidelização do cliente. Não adianta ter um ótimo atendimento, bons preços e prazos de pagamento se a entrega falhar em algum ponto. O processo todo de atendimento se estende até a chegada do produto, em perfeito estado, na casa do cliente”, expõe Klein.

Logística reversa
Há mais de dois anos, as Casas Bahia iniciaram seu programa de reciclagem e conscientização ambiental, os “Amigos do Planeta”. Entre as ações desenvolvidas está a logística reversa de embalagens – que retira e dá destino correto a materiais como isopor, plástico e papelão que embalam as mercadorias entregues na casa dos clientes.
Além de prestar um serviço ao consumidor, a rede contribui diretamente com o meio ambiente. A logística reversa abrange todo o Estado de São Paulo e, até 2011, estará sistematizada nos demais estados onde as Casas Bahia atuam, a começar pelo Rio de Janeiro.
O “Amigos do Planeta” já encaminhou mais de 20 mil toneladas de materiais para reciclagem provenientes da logística reversa e da coleta seletiva de lixo realizada em mais de 100 lojas, prédios administrativos e o principal Centro de Distribuição. Este volume representa uma economia de mais de 27.000 m3 de área nos aterros sanitários de São Paulo.
Em 2008, a logística reversa representava 5% do volume total de materiais recicláveis processados na Central de Triagem construída pela rede no seu depósito de Jundiaí. Atualmente, esse processo já representa 50% do volume de isopor, plástico e papelão recolhidos pela empresa, o que equivale a mais de 100 toneladas por mês.
A Central de Triagem própria possui mais de 1.400 m2 de área, onde atuam 50 colaboradores, entre eles ex-catadores de lixo e pessoas com deficiência da comunidade local. Lá, os materiais – plásticos, isopor, papel, papelão, vidro, madeira, sucatas metálicas, entre outros – são separados, enfardados e comercializados. Toda a verba arrecadada com a venda dos recicláveis é investida em projetos sociais na área da educação.
Nas lojas, as Casas Bahia implantaram caça-pilhas e baterias em todas as filiais da cidade de São Paulo, à exceção dos shopping centers, onde a coleta seletiva segue a legislação municipal em vigor. Recolhidos, estes materiais são enviados para descontaminação e reciclagem.

Saiba como funciona o maior depósito da América Latina
Todas as noites e madrugadas armam-se verdadeiras operações de guerra dentro dos armazéns da Casas Bahia. A meta: cumprir as entregas diárias em 24000 endereços diferentes, localizados em oito estados brasileiros. Logística, portanto, é parte crítica da operação da empresa, especialmente porque tudo é feito com recursos e funcionários da casa, incluindo uma legião de 1000 motoristas.
Localizado em Jundiaí, no interior paulista, o principal centro de distribuição da empresa possui 170.000 metros quadrados cobertos, sendo considerado o maior da América Latina. Todos os dias, 260 caminhões com o inconfundível baianinho estampado no baú partem do depósito central para realizar as entregas aos clientes. Outros 45 fazem o mesmo, mas para abastecer as lojas com produtos eletroportáteis, enquanto 60 carretas levam mercadorias aos entrepostos localizados nos demais estados –à exceção do Rio de Janeiro –não possuem armazéns.
O movimento não pára por aí. O depósito de Jundiaí recebe, em média, 180 carretas de fornecedores diariamente. No total, 2 400 pessoas labutam no armazém, que também é munido de muita tecnologia para funcionar.
A integração do software de logística com o sistema de identificação dos produtos por código de barras é o que permite a localização dos produtos dentro do depósito e também o controle da entrada e saída das mercadorias. Todos os racks, onde são empilhadas as mercadorias, possuem uma placa com código de barras. Assim é possível saber, por exemplo, quantos fogões há em determinado rack com a simples aproximação de um leitor.
As vendas realizadas nas lojas são repassadas automaticamente para o sistema de logística da empresa. Ao final do dia, o sistema imprime milhares de etiquetas com código de barras que contêm a descrição de cada produto, além do endereço da entrega e o nome do cliente que o comprou.
Munida dessas informações, uma equipe do depósito faz a “puxada de mercadoria”. Essa etapa consiste na separação dos produtos que são devidamente etiquetados e encaminhados para um dos 420 boxes – espécie de garagem onde os caminhões são carregados. Esses boxes ladeiam todo o armazém.
            A entrada de cada produto em cada um dos boxes também é informada ao sistema que recebe previamente a programação das cargas. E na programação de cargas que são definidos o roteiro de cada caminhão e os produtos que cada veículo deverá entregar.
            O Sistema de Logística também ajuda a calcular a quantidade de caminhões necessária para as entregas do dia, a partir do cálculo da capacidade do caminhão em relação ao tamanho das mercadorias.
            Mensalmente, mais de 1,2 milhão de itens entram e saem do depósito central das Casas Bahia.


 Análise
Depois de analisar estas reportagens referentes a uma das maiores redes varejistas, percebe-se que a Casas Bahia é uma empresa que se preocupa com todas as etapas da Cadeia de Suprimentos desde a origem da matéria-prima de alguns produtos, estabelecendo contato com os fornecedores, para garantir a qualidade do produto até a entrega ao cliente, e ainda assim dão assistência depois da venda (Pós Venda).
A Casas Bahia pensa que a Logística é fundamental para que o cliente tenha satisfação em sua loja, pois não adianta, qualidade, preços baixos e outros fatores, e a mercadoria chegar com atraso e em más condições, então a Loja investe na parte de Transportes contando com uma parceira forte nesta área, mantendo uma relação com o Transportador, chegando ambos, adaptarem os caminhões para atender a demanda que é bem expressiva das Casas Bahia.
Contém um grande número de CD (Centros de Distribuição), com um amplo espaço de armazenagem e além de contar com a Tecnologia da Informação (Software) para controle de estoque, e para reposição automática das mercadorias faltantes e para saber quantos caminhões irão precisar para que seja entregue as mercadorias aos consumidores.
Outra colocação importante referente às Casas Bahia é a questão de sua consciência com o Meio Ambiente, proporcionando assim, a Logística Reversa, conforme citado acima. Eles retiram as embalagens de suas mercadorias e dão o destino correto a materiais como isopor, plástico e papelão que embalam as mercadorias entregues na casa dos consumidores.
Por toda essa preocupação, investimento e boa administração com a Logística e a Cadeia de Suprimentos que a Casas Bahia cada vez mais cresce e se consolida no mercado Brasileiro.

Referências:
-http://institucional.casasbahia.com.br/imprensa_noticias/logistica-reversa-e-realidade/

Aline da Silva de Ávila – 47230 – Administração/5º Semestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário